Nossa Historia

A Igreja Primitiva

A História da Igreja Primitiva 

 

 

Durante os três anos em que conviveu com os apóstolos, Jesus Cristo organizou o colégio apostólico, lhes ensinando as bases de sua doutrina, preparando desta forma a liderança que conduziria sua igreja após seu retorno para o Pai.
Quarenta dias após sua ressurreição, Jesus deu instruções finais aos discípulos, e finalmente se ausentou, despedindo-se no cume do Monte das Oliveiras, determinando aos discípulos que não se ausentassem de Jerusalém, até que fossem revestidos do poder (At 1.1-11).
Os discípulos voltaram e se recolheram em jejum e oração, aguardando o Espírito Santo, o qual Jesus disse que viria. Cerca de 120 pessoas seguidoras de Jesus aguardavam. Cinqüenta dias após a páscoa, no Dia de Pentecostes, um som como um vento impetuoso encheu a casa onde o grupo se reunia. Línguas de fogo pousaram sobre cada um deles e começaram a falar em línguas diferentes da sua conforme o Espírito Santo os capacitava. Os visitantes estrangeiros ficaram surpresos ao ouvir os discípulos falar em suas próprias línguas. Muitos zombavam e diziam que estavam embriagados (At 2.13).
Mas Pedro fez calar a multidão e explicou que estava dando testemunho do derramamento do Espírito Santo.
Alguns dos observadores estrangeiros perguntaram o que deveriam fazer para receber o Espírito Santo. Então Pedro disse: "Arrependei-vos, e cada um de vós, seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo." (At 2.38). 
E naquele momento quase 3 mil pessoas aceitaram a Jesus como seu Salvador (At 2.13) e foram testemunhas oculares da manifestação da glória de Deus.
É aceito o Dia de Pentecostes como o dia oficial da inauguração da Igreja Cristã, por ter sido este o dia em que foi revelado ao mundo como continuadora da obra de Jesus Cristo, seu Mestre e Senhor.
A igreja inaugura sua trajetória vitoriosa, logo após sua apresentação ao mundo. Os primeiros cristãos formavam uma comunidade estreitamente unida em Jerusalém, onde os registros das primeiras conversões são elevados (At 2:14, 4:4).
Deus operava milagres de cura por intermédio desses primeiros cristãos. Pessoas enfermas reuniam-se no templo de sorte que os apóstolos pudessem tocá-los em seu caminho para a casa de oração (At 5.12-16).
Esses milagres convenceram a muitos, de que os cristãos verdadeiramente serviam a Deus. 
A igreja crescia com tanta rapidez que os apóstolos tiveram que nomear sete homens para distribuir viveres às viúvas. O dirigente desses homens era Estevão, homem cheio de fé e do Espírito Santo. 
A primeira reação contraria a expansão da igreja veio do judaísmo, que considerava a pregação cristã como um perigo ao ritualismo e a sua própria existência. Certo dia um grupo de judeus apoderou-se de Estevão e, o levou a presença do conselho do sumo sacerdote, acusando de blasfêmia por ter feito uma eloqüente defesa da fé cristã, explicando como Jesus Cristo havia cumprido as antigas profecias referentes ao Messias que libertava seu povo do pecado e da escravidão. Assim tomaram a iniciativa do apedrejamento de Estevão, transformando-o no primeiro Mártir da fé cristã.
Logo após a morte de Estevão tiveram lugar ao martírio de Tiago e a prisão do apóstolo Pedro, por determinação do governador Herodes.
Esse fato deu início a uma onda de perseguição que levou muitos cristãos a abandonarem Jerusalém (At 8.1), iniciando-se assim a dispersão de muitos cristãos propiciando um crescimento maior e mais rápido da igreja: "Todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus." (Rm 8.28).
A princípio, os seguidores de Jesus não viam necessidade de desenvolver um sistema de governo na igreja.
Mas o tempo em que Paulo escreveu suas cartas às igrejas, os cristãos reconheciam a necessidade de organizar seu trabalho.
O novo testamento não nos dá um quadro minucioso do governo da igreja primitiva; um ou mais Presbíteros, evidentemente, presidiam os negócios de cada congregação(Rm 12.6-8; 1Ts 5.12: Hb 13.7,17, 24), exatamente como os anciões faziam nas sinagogas judaicas.
Por conseguinte, o Espírito Santo trabalhava por meio dos apóstolos ordenando líderes para o ministério. Alguns ministros chamados de Evangelistas pareciam ter viajado de uma congregação para a outra, como faziam os apóstolos. O título Evangelista significa: homens que manuseiam o evangelho.
Algumas cartas do novo testamento referem-se a bispos na Igreja Primitiva, visto que esses "bispos" não formavam uma ordem superior na liderança eclesiástica como ocorre em algumas igrejas onde o título é usado hoje.
A igreja primitiva não possuía um centro terrenal de poder. Os cristãos entediam que Cristo era o centro de seus poderes (At 20.28). O ministério significava servir em humildade, em vez de governar de uma posição elevada (Mt 20.26-28).
A igreja não enganava o povo por meio de rituais, poderes mágicos e qualquer outro modo. Negavam que os indivíduos pudessem obter poderes especiais de Cristo para seus próprios fins (At 8.9-24; 13.7-12). Os cristãos convidavam os incrédulos para fazer parte do "corpo de Cristo" (Ef 1.23). E pregavam que cristo voltaria para buscar seu povo, a "noiva" de Cristo. (Ap 21.2; 22.17).
Sabemos que a Igreja Primitiva realizava seus serviços no primeiro dia da semana, que é o domingo, e o chamavam de "o Dia do Senhor" , porque foi o dia em que Cristo ressurgiu dos mortos.
Crêem os eruditos que os primeiros cristãos cultuavam a Deus nas noites de domingo, que girava em torno da Ceia do Senhor.
Os cristãos começaram a manter dois cultos no domingo, conforme descreve Justino Mártir: um de manhã bem cedo e outro ao entardecer. As horas eram escolhidas para atender as pessoas trabalhadoras e por questão de segredo.
Geralmente a ordem do culto era louvor, oração e pregação. Os primitivos cristãos tomavam a refeição simbólica da Ceia do Senhor para comemorar a última ceia. O Batismo era um acontecimento comum da adoração cristã no templo de Paulo (Ef 4.5). Os cristãos primitivos eram batizados em nome de Jesus, seguindo seu próprio exemplo.
Paulo descreve a igreja como "um só corpo de Cristo" (Rm 12.5) e seu "corpo" (Ef 1.23). A igreja encerra numa comunhão única de vida divina a Cristo pelo Espírito Santo mediante a fé. Todo poder da igreja para adorar e servir, era dom de Deus.
A igreja é uma entidade viva e ativa. É responsabilidade da igreja, praticar a unidade, o amor e mostrar que Cristo verdadeiramente vive naqueles que são membros do seu corpo.

 

A Igreja Assembléia de Deus 

Enquanto o avivamento pentecostal expandia-se e dominava a vida religiosa de Chicago, na cidade de South Bend, no Estado de Indiana, que fica a cem quilômetros de Chicago, morava um pastor batista que se chamava Gunnar Vingren. Atraído pelos acontecimentos do avivamento de Chicago, o jovem foi a essa cidade a fim de saber o que realmente estava acontecendo ali. Diante da demonstração do poder divino, ele creu e foi batizado com o Espírito Santo. Pouco tempo depois, Gunnar Vingren participou de uma convenção de igrejas batistas, em Chicago. Essas igrejas aceitaram o Movimento Pentecostal. Ali ele conheceu outro jovem sueco que se chamava Daniel Berg. Esse jovem também fora batizado com Espírito Santo. Ambos eram de origem sueca e membros da igreja batista em seu país, havendo emigrado para a América em épocas diferentes. Ali, não somente tomaram conhecimento do avivamento pentecostal, mas receberam-no individualmente de modo glorioso. Posteriormente, já amigos e buscando juntos o Senhor, receberam Dele a chamada missionária para o Brasil. Através de uma revelação divina, o lugar tinha sido mencionado: Pará. Nenhum dos presentes conhecia aquela localidade. Após a oração, os jovens foram a uma biblioteca à procura de um mapa que lhes indicasse onde o Pará estava localizado. Foi quando descobriram que se tratava de um estado do Norte do Brasil. Era uma chamada de fé, pois para eles, era um lugar totalmente desconhecido. \r\n

No início do séc.xx, nosso país era  ainda quase que totalmente católico. O que ninguém poderia imaginar, que chegava ao país confirmados por Deus dois jovens missionários suecos Gunnar Vingrem e Daniel Berg, em Belém do Pará,em 19 de Novembro de 1910, e estavam para iniciar um movimento que alteraria profundamente o perfil religioso e até social do Brasil por meio da pregação como Jesus Cristo o único e suficiente salvador da humanidade, o batismo com o Espírito Santo e os dons espirituais.

    A princípio, freqüentaram a igreja Batista, denominação que ambos pertenciam nos EUA. Eles traziam a doutrina no Espírito Santo. A nova doutrina trouxe muita divergência, e logo começou a reação de um grupo de conservadores, que cobravam do Pastor uma atitude com relação aos fanáticos, culminando esta intolerância na expulsão dos missionários e dos que simpatizavam com eles, ainda que estes fossem a maioria. No dia 18 de Junho de 1911, passaram a congregar na Rua Siqueira Mendes 67, Belém, fundaram uma nova igreja e adotaram o nome de Missão de Fé Apostólica, espalhando-se rapidamente pelo norte do país, alvoroçando as igrejas tradicionais que passaram a perseguir os movimentos, levando muitos curiosos a se aproximarem para conferir o que era veiculado pela imprensa, acabando por se converterem, engrossando cada vez mais as fileiras pentecostais. Mais tarde em 18 de janeiro de 1918, a nova igreja por sugestão de Gunnar Vingren, passou a chamar-se ASSEMBLÉIA DE DEUS, em virtude da fundação das Assembléias de Deus nos Estados Unidos, em 1914, em Hot Springs, Arkansas, mas, outra vez, sem qualquer ligação institucional entre ambas as igrejas. A Assembléia de Deus no Brasil se expandiu pelo Estado do Pará, propagou-se para o Nordeste, principalmente entre a população mais pobre. Em 1922, chegou ao Sudeste através de famílias de retirantes do Pará, que se portavam como instrumentos voluntários para estabelecer a nova denominação aonde quer que chegassem. Nesse ano, a igreja teve início no Rio de Janeiro, no bairro São Cristóvão, na Rua São Luiz Gonzaga, e ganhou impulso com a transferência de Gunnar Vingren, de Belém, PA, em 1924, para a então capital da república. Um fato que marcou a igreja naquela época foi à conversão de Paulo Leivas Macalão, filho de um general, através de um folheto evangelístico. Foi ele o precursor do assim conhecido Ministério de Madureira. A influência sueca teve forte peso na formação assembleiana brasileira, em razão da nacionalidade de seus fundadores, e graças à igreja pentecostal escandinava, principalmente a Igreja Filadélfia de Estocolmo, que, além de ter assumido nos anos seguintes o sustento de Gunnar Vingren e Daniel Berg, enviou outros missionários para dar suporte aos novos membros em seu papel de fazer crescer a nova Igreja. Desde 1930, quando se realizou um concílio da igreja na cidade de Natal, RN, a Assembléia de Deus no Brasil passou a ter autonomia interna, sendo exclusivamente administrada pelos pastores residentes no Brasil, e sem perder os vínculos fraternais com a igreja na Suécia. A partir de 1936 a igreja passou a ter maior colaboração das Assembléias de Deus dos EUA através dos missionários enviados ao país, os quais se envolveram de forma mais direta com a estruturação teológica da denominação A Assembléia de Deus é uma comunidade protestante, segundo os princípios da Reforma Protestante de Martinho Lutero, contra a Igreja Católica, no séc XVI. Cremos que qualquer pessoa pode dirigir-se diretamente à Deus, baseada na morte de Jesus Cristo na cruz. A Assembléia de Deus é uma Igreja Evangélica Pentecostal que prima pela ortodoxia doutrinária. Tendo a Bíblia como única regra de fé e prática, acha-se comprometida com a evangelização do Brasil e do mundo. As Assembléias de Deus crêem que quando o Espírito Santo é derramado, ele enche o crente e fala em línguas estranhas, como aconteceu com os 120 crentes no cenáculo, no Dia de Pentecostes. Consciente de sua missão, a Assembléia de Deus não prevalece do fato de ter, segundo dados do IBGE ( censo 2000 ), mais de 8 milhões de membros no Brasil. Apesar de sua força e presença social, optou por agir profeticamente e sacerdotalmente. Se por um lado, protesta contra as iniqüidades sociais, por outro, não pode descuidar de suas responsabilidades intercessoras.

 

Biografia do Pastor Paulo Leivas Macalão


Biografia do Pastor Paulo Leivas Macalão



Nascido em 1903, na cidade de Santana do Livramento - RS, filho de João Maria Macalão e Joaquina Georgina Leivas Macalão, o Pastor Paulo Leivas Macalão teve sua educação inicial no Colégio Batista do Rio de Janeiro, então Distrito Federal, sendo que sua formação secundária foi no Colégio Pedro II, também no Rio de Janeiro. Era desejo de sua família que seguisse carreira militar, a exemplo de seu pai, que era general do Exército Brasileiro, tendo planejado seu ingresso na Academia de Realengo, Rio de Janeiro, porém a forte convicção de sua vida estava sendo orientada por Deus, e tendo seu coração movido pela necessidade espiritual de levar a mensagem de amor e de esperança de Deus revelado ao mundo através de seu filho Jesus Cristo.

Paulo Leivas Macalão converteu-se ao evangelho aos 18 anos ao caminhar pela rua São Luiz Gonzaga, São Cristóvão, Rio de Janeiro, lendo um folheto bíblico que a providência divina, fez colar à sua perna atingida pelo vento. O Pai, General João Maria Macalão, decepcionado com a opção religiosa do filho mandou-o para a casa dos tios que residiam em Campo Grande - Rio de Janeiro. Nada, porém, conseguiu dissuadi-lo da fé em Jesus Cristo, que transformara integralmente sua vida. Em 1923, conheceu Heráclito Menejes, de Belém do Pará, soube das notícias do grande avivamento cristão que ocorrera lá desde 1910 com a chegada dos Missionários Gunnar Vingren e Daniel Berg. Paulo Macalão escreveu então para o Missionário Gunnar Vingren, pedindo-lhe que enviasse à capital do país um mensageiro das boas novas do movimento pentecostal denominado a partir de 1914 - Assembléia de Deus. Atendendo a seu pedido, Vingren transfere-se com sua família para o Rio de Janeiro e registra a Assembléia de Deus em território fluminense em abril de 1924, tendo sempre como colaborador o jovem Paulo Leivas Macalão Em 1926 iniciou-se o trabalho de Paulo Leivas Macalão nos subúrbios da Central em Realengo, Bangu e Madureira, crescendo vertiginosamente. Em 17 de agosto de 1930, na igreja Assembléia de Deus do Rio de Janeiro, Vingren e Lewi Petrus, famoso pastor, pregador e jornalistas suecos, responsáveis pela maior igreja pentecostal da Europa naqueles dias em Estocolmo, consagram ao pastorado o jovem Macalão, cuja chamada Deus já havia confirmado, dando-lhe plena liberdade para criar seu ministério e evangelizar seus país. De Bangu, onde construiu o primeiro templo próprio das Assembléias de Deus do sudeste do Brasil em 12 de janeiro de 1933, tendo a alegria de ter entre os presentes seu velho pai o General João Maria Macalão, estendeu o trabalho de evangelização por todo o Estado do Rio e outros estados do país. Mas tarde, 1929, o trabalho foi transferido para Madureira, bairro em que se estabeleceu a sede da igreja, onde o crescimento acentuou-se vigorosamente e de lá, espalhou-se para outros estados, como Minas Gerais, Paraná, Goiás, Mato Grosso, São Paulo, Espírito Santo e, também, Brasília, quando do início da nova Capital Federal.
Por muitos anos, o pastor Macalão foi conselheiro da Sociedade Bíblica do Brasil, e Conselheiro Vitalício da CPAD. Foi presidente do Instituto Bíblico Ebenézer; da Convenção Nacional dos Obreiros de Madureira, e do Conselho Fiscal da Ordem dos Ministros Evangélicos do Brasil.
Ainda por longo tempo, foi membro do Comitê Internacional que planeja as Conferências Mundiais Pentecostais, em Dallas, Texas, representando o Brasil, quando teve ocasião de fazer vibrante pregação.
Visitou igrejas na Inglaterra e na Suécia, inclusive a Igreja Filadélfia em Estocolmo. Em Springfield, Missouri, quando da sua visita oficial à Sede Central das Assembléias de Deus na América do Norte, foi ali diplomado.
Recebeu também o título de cidadão do antigo Estado da Guanabara. \r\n


Foi sendo conhecido nacionalmente e internacionalmente por seu espírito evangelístico, missionário e empreendedor.No Estado do Rio de Janeiro, Macalão foi pioneiro na abertura de igrejas na região sul, norte, dos lagos e na cidade do Rio de Janeiro, naquela época, Estado da Guanabara. Da rua Ribeiro de Andrade 65, em Bangu onde ainda existe o patrimônio histórico das Assembléias de Deus, o trabalho estendeu-se em todas as direções; chegando até mesmo em outros Estados. Em 17 de janeiro de 1934 casou com a missionária Zélia Brito Macalão, que sempre colaborou efusivamente no ministério de seu esposo, dando assim, um grande reforço ao seu ministério, pois esta abnegada mulher, sempre o apoiou participando ativamente de todo o processo. O Pastor Paulo e a irmã Zélia sempre foram um exemplo de vida consagrados a Deus, sempre juntos cuidando um do outro, sem olhar para as dificuldades faziam o ide do Senhor. O casal teve um único filho – Paulo Brito Macalão.


O Pastor Paulo Leivas Macalão, patriarca das Assembléias de Deus no Brasil e fundador do Ministério Madureira é sempre lembrado com muito respeito e carinho, não só pelos seus 52 anos de pastorado ministrando os ensinamentos da palavra de Deus, mas principalmente pelos hinos de sua autoria, cerca de 252 hinos, do maior hinário pentecostal do país - a HARPA CRISTÃ, utilizada pelos milhões de crentes no Brasil, patrimônio histórico das Assembléias de Deus - Ministério Madureira.

fonte: http://www.cadesc.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=7&Itemid=13

História: AD Madureira-RJ

 


“Subi o monte, e trazei madeira, e edificarei
a Casa; e dela me agradarei e eu serei
glorificado, diz o Senhor” (Ageu 1.8).

Histórias inéditas do Templo

 Muitos fatos marcam a construção do templo da Assembléia de Deus de Madureira, entretanto, outros ainda não foram revelados. Os motivos são vários, vão desde o acúmulo de informações às dificuldades de manter contato com os veteranos que participaram da construção da Catedral de Madureira. Grande parte desses irmãos e irmãs, que se dedicaram à construção, já dorme no Senhor, mas foi possível reunir importantes informações através do diálogo com antigos obreiros que contribuíram na elaboração deste capítulo.

Lançamento da Pedra Fundamental – A construção do grande templo da Assembléia de Deus em Madureira foi iniciada graças a uma generosa oferta levantada no dia do lançamento da Pedra Fundamental. Deus estava dando mostra de que supriria todas as necessidades. Confiante na promessa de Deus, o pastor Paulo Leivas Macalão e demais obreiros não pouparam esforços para ver um grande sonho se tornar realidade: a construção do templo. Uma marca vital entre àqueles que haviam se comprometido em levar a obra adiante era a alegria. O espírito feliz removia a aspereza do ato de dar daqueles irmãos, pois sabiam que a atitude positiva transforma o sacrifício em prazer e que quando há alegria interior, nenhum desafio parece grande demais. Antes de iniciar a obra, o pastor Paulo Leivas Macalão considerava fundamental desenvolver uma boa equipe. Sua idéia principal sobre liderança é simplificada nestes termos: “Encontre pessoas de ação, que se tornarão realizadoras em seus campos de atividade... pessoas em quem você pode confiar. Em seguida, envelheçam juntos”.

 Quando o Coração é Reto os Pés são Rápidos - Com o ânimo elevado, o povo transformou as dificuldades em significativos momentos de alegria. Eles diziam: “Vamos contribuir para a obra do Senhor como nunca o fizemos antes”. De fato, eles aprenderam que quando o coração é reto os pés são rápidos. Diante de tamanha determinação e alegria, a palavra “sacrifício” havia se transformado em sinônimo de “prazer”. Quem não se lembra das palavras do rei Davi, depois que Araúna lhe ofereceu uma de suas propriedades gratuitamente. Pelo que Davi lhe respondeu: “Não, antes quero comprá-la pelo preço devido. Não oferecerei ao Senhor meu Deus holocausto que não me custem nada” (2 Sm 24.24). Conhecedor deste fato, o pastor Paulo Leivas Macalão entendia que um ministério que nada custa, não glorifica a Deus”.

Uma Atitude de Fé e Ousadia - Se as dificuldades financeiras são deploráveis hoje para milhares de brasileiros, imagine como era a situação sócio-econômica do nosso país há 50 anos. Foi numa época marcada pela recessão econômica, quando o Brasil sofria ainda os efeitos da Segunda Guerra Mundial, que o pastor Paulo Leivas Macalão lançou o projeto de construção de um dos mais belos templos de nossa nação.

 Dificuldades no Acabamento da Obra – Muito embora o templo já tivesse sido erguido, faltava-lhe pôr ainda os vidros nas diversas janelas espalhadas por todo o santuário. Quem conhece o belo templo de Madureira sabe que tais janelas se constituem num dos principais objetos de sua arquitetura. São vitrais enormes com vidros coloridos, dispostos com inigualável beleza e simetria. No entanto, faltando poucos meses para a inauguração, aumentava a preocupação do pastor Paulo Leivas Macalão com a falta de recursos financeiros para a compra e colocação desses vidros. O projeto arquitetônico incluía a contratação de um vidraceiro francês. Contudo, a realidade econômica da igreja não permitia sequer a contratação de uma empresa brasileira para fazer o serviço. Ele então intensificou a campanha, pedindo que os membros e obreiros cooperassem com mais liberalidade para o acabamento da obra. Muitos irmãos e irmãs, que eram simples trabalhadores e lavadeiras de roupas, “em meio às muitas provas e tribulações, manifestaram abundância de alegria, e a profunda pobreza deles superabundou em grande riqueza da sua generosidade” (2 Co 8.2). Mas, apesar da generosidade desses queridos irmãos, o orçamento era ainda um grande desafio, pelo que Deus levantou dentre os próprios fiéis alguém que pudesse colocar, gratuitamente, os vidros do templo. Coube ao irmão José Gualiato essa nobre e ardorosa empreitada. Ele nada exigiu, exceto o amor e as orações dos santos. Como não bastasse, o mesmo trabalhava na antiga Casa Garibalde, uma conhecida vidraçaria localizada no centro do Rio de Janeiro, na Rua da Conceição, nº 160.

Após o expediente, ele partia alegremente da empresa rumo ao templo de Madureira para a colocação dos vidros. Trabalhava todos os dias colocando vidros, das 18h às 23h, aproximadamente.

Hoje, aos 86 anos de idade, o pastor José Gualiato lembra que ao falar das dificuldades financeiras de sua igreja ao patrão, pediu a este que viabilizasse todo material necessário e parcelasse o valor do material em suaves prestações. Seu pedido, graças a Deus, foi prontamente atendido.

A Escada do Corpo de Bombeiros – Uma clara demonstração da providência divina foi à escada do Corpo de Bombeiros, cedida pelo Comandante do Batalhão da região. Para a colocação dos vidros, eram necessários vários andaimes, sem contar o esforço que era feito para montá-lo, desmontá-lo e reutilizá-lo. Todavia, Deus, que é “poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além do que pedimos ou pensamos” (Ef 3.20), providenciou a escada, tornando o serviço mais ágil e prático. Mais uma vez, o Senhor estava demonstrando ser o Deus da Provisão.

Como não bastasse, o Senhor continuou favorecendo a construção do templo, pois, na maioria das vezes, o vidraceiro quase sempre iniciava sua atividade à noite. No início, a luminosidade do templo era precária, o que dificultava seu trabalho. Como se sabe, o templo fica em frente de uma ferrovia próxima a estação de Madureira. Todos os dias, ao entardecer, um trem de carga parava durante horas com os faróis voltados para o santuário. Não havia dúvida de que esta era mais uma providência divina. Isto era tudo que o vidraceiro queria, pois assim, poderia terminar suas tarefas com redobrado cuidado e maestria.

 Superando Crises e Provações - Numa ocasião em que o mover do Espírito Santo estava produzindo um grande avivamento, começaram também a vir lutas e provações. No entanto, o pastor Paulo Leivas Macalão sempre soube superar as crises com fé e oração. Sua determinação férrea sempre o ajudou a superar as circunstâncias adversas. Nos momentos difíceis de sua vida, assim dizia: “Não importa quão grande seja a pressão. O que importa, na verdade, é saber lidar com ela. Sei, com certeza, que os problemas não diminuirão, mas a minha capacidade de resolvê-los é que aumentará”.

As pressões sobre sua vida e ministério não o deixavam deprimido, pois através da oração, encontrava forças para superá-las com sabedoria. Tirava o fardo de suas costas e entregava-o a Deus. Ele transformava as pressões em momento de tranqüila devoção.

FONTE:http://admadureiravideos.com.br/portal/index.php?option=com_content&task=view&id=2&Itemid=3

 

Bispo Manoel Ferreira

Biografia do Bispo Manoel Ferreira



Manoel Ferreira nasceu em 30 de Maio de 1932, na cidade de Arapiraca no Estado da Alagoas. Filho de Pedro Ferreira da Silva e Otília Francisca Ferreira (em memória).
Casado com a missionária Irene da Silva Ferreira em 05 de Maio de 1957, o casal recebeu de Deus cinco filhos: Wagner, Magner, Abner, Vasti e Samuel.

Membrou-se às Assembléias de Deus em 02 de Março de 1956, sendo ordenado Ministro evangélico em 01 de Março de 1960, na sede das Assembléias de Deus em Madureira, Rio de Janeiro, bem como sede da Convenção Nacional das Assembléias de Deus no Brasil. Paralelamente atuou como Pastor Presidente das seguintes igrejas da Assembléia de Deus: Arapuá (SP), Capão Bonito (SP), Garça (SP), Bauru (SP), Vila Alpina (SP), Brasília (DF), Campinas (SP). Mantendo com sabedoria, prudência e graça de Deus, a unidade deste ministério, o pastor Lupércio Vergniano passa a liderança do Ministério de Madureira ao Pastor Dr. Manoel Ferreira em 1986, que imprimiu-lhe o dinamismo que lhe é peculiar, levandoa Convenção de Madureira a várias partes da terra, através de um trabalho sério voltado à evangelização.


Realizou seu curso primário em Cafelândia Estado de São Paulo. Seu curso ginasial foi realizado mais tarde, quando servia às forças armadas do Estado de São Paulo na cidade de Lins. Formado em Teologia, Sociologia, Direito e Eletrônica, já foi presidente de diversas instituições e movimentos religiosos, como o Conselho Nacional de Pastores do Brasil, a Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil e Sul-Americana e a Conferência Pentencostal Sul-Americana.


Tem realizado várias concentrações evangélicas por várias capitais brasileiras, reunindo aproximadamente dois milhões de evangélicos em cada uma dessas concentrações.
Tem desenvolvido a Obra Missionária em vários países, inclusive na Rússia, onde implantou a Assembléia de Deus, realizando trabalhos sociais com os menos na Rússia e no Leste Europeu. Através do Conselho Nacional de Pastores do Brasil, tem desenvolvido um trabalho fortíssimo de assessoria às autoridades Federais, Estaduais e Municipais em todo o Brasil.


O bispo Manoel Ferreira foi agraciado com diversos títulos, medalhas e comendas, por este Brasil afora, em municípios e estados, e também pelo governo federal, em reconhecimento aos relevantes trabalhos prestados, não só à igreja, mais à pátria brasileira, estando à frente de projetos de inclusão social para pessoas carentes, crianças e idosos no Brasil e em outros países como Bolívia, Rússia, Noruega e Ucrânia. Sendo indicado ao Prêmio Nobel da Paz edição 2008.

Em junho de 2008 foi concedido ao bispo Manoel Ferreira a Medalha de Tiradentes (leia aqui) .

 

Obispo Manoel Ferreira se destaca ainda com três livros escritos: "Não Apagueis o Espírito Santo", "Reflexões e Desafios para o Novo Milênio" e "Cidadania Pés no Chão".


Atualmente, o bispo Manoel Ferreira divide o seu tempo com a atividade parlamentar na Câmara dos Deputados, a igreja e a família. Em entrevista, Manoel Ferreira colocou: "Minha vida tem sido apenas de construir pontes, de ajudar a unir forças".


Fonte:www.manoelferreira.com.br/site/biografia

Revista Igreja
www.overbo.com.br
www.adiberj.org

 


Contato

Assembleia de Deus de Madureira em Itajai-SC

Sede:Rua Manoel Francisco Coelho Nº 243 Bairro São Vicente Itajai-SC
Congregações:
Rua Deográcio de Oliveira Nº 14 Bairro São João Itajai -SC
Rua Luis Leôncio Buchele J. Progresso Itajai-SC
Av. Ministro Luiz Galott esquina com o mercado verde mar Cidade Nova Itajai-SC
Rua Blumenau Nº 2218 do lado da Balsa Barra do Rio Itajai-SC



Palavra do dia

E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.Romanos 8:17

 

Porque assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu, eu mesmo, procurarei pelas minhas ovelhas, e as buscarei.Ezequiel 34:11